Thursday, 12 April 2012

D366 - Um ano...Uma história!


Faz hoje precisamente um ano que nasceu o Jardim das Pequenas Coisas.

Inicialmente pensei manter este espaço pessoal, íntimo, sem o partilhar, mas concluí que as coisas boas que temos e criamos são ainda melhores quando outros fazem parte delas.

Hoje conto-vos abertamente as razões que me levaram a criar o Jardim das Pequenas Coisas.

Há um ano atrás, quis o destino que a relação que eu tinha acabasse, na mesma altura em que remexi as minhas raízes numa viagem a Cuba para conhecer o meu pai. Sabia que depois desse acontecimento tudo iria mudar... 

Na sucessão de acontecimentos, nada foi casual, tudo tomou o seu rumo como teria de ser. Eu procurei o meu espaço, que fosse o meu porto de abrigo, a minha casa e o meu ninho, o local onde me cicatrizaria e onde iria renascer. 

Encontrei essa casa, esse espaço, mas faltava-me um jardim... um jardim que recebesse o que de melhor acontecia, onde recordava as coisas boas de cada dia... e assim nasceu o Jardim das Pequenas Coisas.

Quando estamos tristes, feridos, revoltados, parece que também ficamos cegos e eu não queria isso, sabia que a cada dia conseguiria encontrar algo que me fizesse sorrir, que me fizesse sentir plena e consciente do meu mundo e do mundo que me rodeia, sentindo-me grata por estar viva!

Pequenas coisas como um cheiro a bolo acabado de sair do forno, um ronronar dos meus gatos, o abraço de um amigo, um mimo dos colegas de trabalho, uma caminhada pela serra, uma aula de dança, um fogo na praia, uma flor, uma música....tantas foram as surpresas...pequenas grandes coisas plantadas diariamente!

Hoje apercebo-me aquele esse final, foi para mim um começo, um renascer, um voltar à minha liberdade. Foi difícil acordar...mais difícil sentir que não merecia tal acontecimento...mas na verdade merecia...e era uma coisa boa, fantástica e que me abria as portas para o que sou agora!

Estes caminhos tortuosos trouxeram-me ao dia de hoje, onde ainda luto, luto muito, mas onde me sinto feliz, onde caminho na direcção dos meus sonhos, onde não me sinto vitima de nada, nem de ninguém. Recuso esse estado de "vitimidade"! Sou feliz por lutar, mesmo nos dias que estou mais cansada...

Eu sou responsável pelo que me torno e pelos passos que dou! O que correr menos bem e me deitar por terra é resultado meu e de mais ninguém...se não o aceitar, atiro-o ao Universo e continuo com as condições que tiver, mas de cabeça erguida, sempre!

Quando ficamos presos, sozinhos, num quarto, com a fechadura na mão temos várias hipóteses: atiramo-nos da varanda, chamamos os bombeiros, chamamos os amigos, chamamos os gatos ou tentamo-nos libertar.... Hoje escolhi a última... e gostei do resultado!

Grata a todos e com muito amor,

Luna

2 comments:

Florbela said...

Parabéns! És linda e obrigada por partilhares o teu grandioso jardim de pequenas coisas. bjos

Luna said...

Muito muito muito grata Flor! Fazes parte dele, por isso também estás de parabéns! ***