Sunday, 8 July 2012

De mortes e memórias... ao novo ciclo


Sento-me na areia, neste dia, a sentir o mar
Está revoltado, irado, com fome de destruição
O mesmo sentimento paira no meu coração
Desentrançando padrões, memórias, dores
De um livro de perspectivas que grita horrores
Assim como as águas revoltas, a meus pés a rebentar!

O meu corpo é rasgado a cada memória
O meu coração geme por cada momento calado
A minha alma corta amarras, quebra em toque gelado
A minha mente é abafada, para que possa aceitar
A viragem, a mudança, a vida nova a começar
Um longo ciclo que fica apenas na história.

Água deste mar que sou
Que flui em mim e me limpa
Me leva e me traz
Nova...
A outra jaz...lá atrás...
Numa longínqua memória!

Hoje grito ao mundo que renasci
Das brasas de Pele
Fui cortada, abusada, adulterada
Devastada, discriminada
Calei, assenti...
Gritei sem voz num labirinto sem fim...
Ninguém me ouviu...
Calei...
Senti...
Chorei...
Sequei...
Gelei...
Morri...

Viajei por mundos longínquos
Em busca da minha alma
Senti mãos que me tocavam
Na tentativa de me acordarem...talvez...
Ou talvez para se assegurarem da minha morte...


Na morte dormente do meu ser
Sinto uma gota de água fria que percorre o meu rosto
Aos meus pés um lago se forma
um fluxo de água entre o infinito e o meu corpo
mergulham-me num lago de infinitas ondas
Que me levam, me cobrem, me embalam...

Aqui me deixo adormecer...
E acordar...
Num abraço destas águas primordiais
Aquecidas pelo fogo de um Amor Incondicional
Me cubro...
Me fecundo...
E renasço...

De mim mesma...Renasço...
A Fénix arranca-me do meu próprio ventre...
Parteira de mim e em mim...
Sente as minhas e as suas dores...

Recém-nascida...
Frágil, mas com uma força primordial
Do Ventre da Grande-Mãe
Aqui me encontro...
Neste fluxo de vida
Que me preenche...
A embalar-me...
A preparar-me...
Para o que me espera...

O novo ciclo!

1 comment:

Cristina Marques said...

M a r a v i l h o s o!